Bye-bye kg!

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

E como passa rápido!!!!



Essa semana, mais especificamente dia 3/10/2015, completei 3 anos de cirurgia.
Mais feliz? IMPOSSÍVEL!!!
O peso continua variando entre 57 e 58kg, continuo me sentindo normal e muito bem comigo mesma.
Retirei a vesícula há cerca de 1 mês. A cirurgia correu muito bem, mas a coisa estava bem feia.

Tenho mais disposição e meu psicológico não está mais afetado pelo fracasso quanto ao meu peso.
Hoje me considero uma vencedora completa!




sexta-feira, 3 de outubro de 2014

2 ANOS!!!

GENTEEEEE!!!!

Não poderia deixar de passar por aqui para comemorar os meus 2 anos de sleeve! !!!

2 anos de felicidade, 2 anos que tudo mudou, 2 anos que tomei uma das decisões mais acertadas da minha vida!!

Portanto, Parabéns pro meu pequeno estômago! !! Vivaaaa


Como muitas,  nunca acharia que um dia iria ter e MANTER 57kg de peso, achava que iria ficar feia "que a minha constituição não permitia" que era bunduda e peituda demais e que iria ficar esquisita...essas coisas que hoje vejo que soavam como desculpas para não me assumir  ou não assumir que precisava tomar uma atitude urgentemente, apesar do desespero em que eu me encontrava.

Hoje me sinto completa em perceber que o peso, não tem mais tanto peso em minha vida!

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

10 regras para manter o peso e não enlouquecer!!!

Eu sei, eu sei...

Nós operados, pelo menos eu, temos PAVOR de voltar a engordar. 
Apesar que lá no fundo, achar que é meio difícil, uma pessoa comer tão pouco e voltar a ser gorda. Masssss vejo muito casos de pessoas que não conseguiram chegar ao peso estipulado ou que acabaram ganhando boa parte do que a cirurgia levou... 
Com o que aprendo na faculdade e muitas palestras que assisto sobre perda e reganho de peso, observei algumas atitudes recomendadas pelos profissionais, para que não haja reganho. 
Aqui adaptei ao que EU acho melhor ou que para MIM ficou mais fácil de seguir.

Então aqui vai, essas são as 10 regras que pretendo manter para o resto da vida.

1º Escolha um prato pequeno pra comer. Eu adotei um prato de criança, esses de bebê, fundinhos mas pequenos ou utilizo um prato de sobremesa. Assim, regulo o olho! rs

2º Compre uma balança. Não há desculpas, já vi balanças digitais a R$ 20,00. 
A balança te faz controlar se vc tá aumentando ou não a quantidade de refeição. Eu não me permito pesar mais de 140g, quantidade que às vezes me sinto bastante estufada. Percebi que PRA MIM o ponto excelente é de 120 à 130g. Conclusão hoje, com quase 1 ano e 5 meses de cirurgia, se por um erro de "olho" num restaurante à kilo por exemplo, acabo colocando 160g. É CERTEZA que vai sobrar.

3º Não existe mais sobremesa no meu vocabulário!! Calma aiiiii, não é bem assim...Até como sim, uma sobremesa de vez em quando... e de vez em quando, entende-se, de vez em quando meeeesmo do tipo 1x a cada 15 dias ou 1 mês e geralmente se dá 1h depois da refeição.

4º Não fico me forçando. Não aguento comer e espero que depois eu conseguirei. Não! Não consigo, acabou e pronto. Comida, só daqui há 2 horas e encarar isso de forma normal. O mundo não vai ACABAR se você não conseguir comer aquela coisa gostosa até o final.

5º Não fico me testando. Ahhh se eu como pouquinho assim, posso tomar leite condensado na lata e vou continuar emagrecendo! Não, você não vai!!! Portanto, aproveite isso, para que, se sua tara for essa, não tê-la mais em casa. Você vai sobreviver!!

6º Ando com uma garrafinha de água pra cima e para baixo!! A água te afasta do doce, a água te afasta da compulsão, a água limpa o organismo e além de tudo, te ajuda a perder peso.

7º Me peso 1x ao dia. Rotina: acordo, vou ao banheiro, tiro a roupa e me peso. Se não perdi nada beleza! Sem loucuras e crise de choro e não fico postando no facebook me lamentando..rs Se estou acima do dia anterior, apenas faço minha dietinha vegetariana ou aumento a malhação. Sei que isso não funciona pra todo mundo, mas tente tirar aquele algo um pouquinho mais calórico do seu cardápio naquele dia. Lembre-se ficamos gordos pelo acumulo. Portanto, não deixe esses 100g hoje, 200g semana que vém se acumular.
Curiosidade: Uma vez, assisti a uma entrevista com o cantor Ney Matogrosso. A repórter ao elogiar e perguntar qual era o segredo de sua boa forma mesmo depois dos 60 anos.
Ele diz: "...esse é um segredo que aprendi há muitos anos. Eu encontrei meu peso, o peso em que eu me sinto bem. Pra mim o peso ideal são 63 kg, portanto, eu me peso TODO SANTO DIA. Acordo e me peso sem roupa, se estou com mais de 63, faço uma pequena dieta. Se estou com menos de 63, incluo no meu lanche da tarde ou na ceia, minguau que eu adoro....Pois sei que perder 200g é infinitamente mais fácil do que perder 2 kg..."

10º Desencano na época pré menstrual. Chego a pesar 1kg a mais. Mas sinceramente, nem ligo. Incho, mas continuo fazendo as mesmas coisas e quando o "reboliço" todo acaba, subo na balança de novo e geralmente estou mais magra do que antes do período.

E crianças, mais uma coisa que nem considero uma dica, mas uma obrigação. 
ATIVIDADE FÍSICA SEMPRE!!!

E com vocês, que já estão magrinhas, já alcançaram a sua meta ou do médico, o que vocês aprenderam e pretendem adotar para a vida?

Bjocas

Nina


E tudo volta ao "normal"

Gente, gente, gente.....rs

Tá osso, essa correria viu?
A rotina voltou....
Volta às aulas...éhhhh agora 3º semestre da nutrição...aqui vamos nós!!!
E a correria volta e cada vez mais "acho" que pelo meu devido abandono da academia, meus joelhos estão apitando!!!!
Como pode, né? Perdi tanto peso e hoje meus joelhos doem mais do que antes...e pior, o operado está doendo mais do que o não operado. :(
Com o emagrecimento, perdi muita musculatura também. E isso lóóóógico se reflete diretamente nos meus joelhos podrinhos...rs

Uma coisa muito boa aconteceu ao receber meu calendário nesse semestre. Três vezes por semana, saio às 9:40h da faculdade. Então peeeeeeense na correria again!

Saio correndo da facul, vou pra academia (3x por semana) saio de lá corro pra casa, tomo banho, me arrumo, almoço e parto para o trabalho. Chego em casa por volta das 19:30h troco de roupa e já vou colocando a comida no prato e tacando no microondas. 

Umas das coisas boas é q agora essa quantidade de comida ai na foto, demoram 30 segundos para esquentar. Mas confesso à vocês, uma coisa que peco muito. Eu não demoro mais de 10 min. para comer. Não entalo, não tenho dor, simplesmente me sinto satisfeita e paro.

Aiii Gente, eu ADORO o fato de comer um tantinho desse, nesse prato tinha 123g.  Adoro o fato de que não importa se é meu prato preferido ou não, como pouquinho, como esse tanto. Me sinto Phynaaaaa  kkkkkkkkkkkkk



Esse prato era composto de: 2 colheres de arroz branco, 1 fatia de sobrepaleta suina ao forno com cenouras, 1 colher de batata palha e 1 colher de salsinha.

Você operado pode estar ai pensando..nosssaaaaaa..batata palha????? Sim, porque não? Não acordo e durmo comendo batata palha, não as coloco em todas as refeições e gente...cá pra nós, não é um saco inteiro, é só uma colherinha. Portanto, sem loucuras de restrições absurdas e sem pé na jaca. kkkkkk

Bjocas

Nina

domingo, 2 de fevereiro de 2014

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Manual para quem quer operar.

Olá pessoaaaaaas, td bem com vocês?

Comigo esta tudo ótimo,  lindo e maravilhoso (e o 38 ficando folgado) kkkk

Amores,  vejo tantas dúvidas por ai, que resolvi fazer este post, para dar uma idéia geral para quem está pensando em começar essa jornada.

1º Pensou em fazer a cirurgia bariatrica,  converse com alguém de muita confiança, tipo pai, mãe,  marido, irmão, etc. Mas evite fazer uma reunião familiar, para expor sua vontade...principalmente se você tiver cunhadas kkkkk

2º Procure um gastro, especialista em cirurgia de redução do estômago.
Obs. Não é todo gastro que é especialista em redução. Eu pegue o nome de todos os gastros do meu plano e liguei um por um.
Ou encontre um profissional na Sociedade brasileira de cirurgia bariatrica e metabólica em 

3º Evite falar da sua intenção pra todo mundo! Mesmo porque você nem sabe se poderá fazer ou não. 

4º Eu otmizei meu tempo e marquei 3 gastros diferentes na mesma semana.  Se eu não gostasse de um ou ele fosse grosseiro comigo, já partiria para outro. rs

5º Encontrou e se identificou com o profissional e ele faz parte da sociedade brasileira de cirurgia bariatrica e metabólica, ele te dirá se você tem indicação ou não de cirurgia. O que geralmente se dá quando se tem um IMC acima de 40 com nenhuma comorbidade associada ou acima de 35 com comorbidades. Você não sabe seu imc? Calcule aqui. Entenda que comorbidades são doenças associadas ou que agravam com a obesidade. Como por ex. Apnéia, artrose, diabetes, etc. Saiba mais no site da ABESO.

6º Conseguiu o aval do médico,  agora começará sua luta em busca dos laudos e a tonelada de exames que terá de fazer. Fiz aproximadamente 30 exames. Acho que TUDO o que se podia saber sobre o meu sangue, foi pedido. Tenho até amigas que são laqueadas (cirurgia onde se ligam as trompas para que a mulher não engravide mais), o medico pediu teste de gravidez. Então amiguinha, vc que está ai, pensando em fazer, saiba que vc será revirada de ponta cabeça. 

7º Não comente com ninguém! A não ser com aquela única pessoa que sabe e que te apoiou desde o começo.  Pq tem sempre um idiota que vai dizer que não precisamos,  que somos safadas, preguiçosas e mais um monte de barbaridades. 

8º Você (geralmente) deverá possuir o laudo (é uma espécie de carta) de:
a) um endócrino,  dizendo que vc se submete a tratamentos para obesidade há pelo menos 5 anos sem sucesso. 
b) de um cardiologista, que fará exames como eletrocardiograma entre outros e "atestará" se você tem um coração forte o bastante para passar pela cirurgia. 
c) para quem tem comodidade,  vai precisar de um laudo de um especialista da área.  Por exemplo, eu tenho artose nos joelhos,  portanto, meu ortopedista me deu o laudo. 
d) De uma nutricionista. Ela vai te explicar tudo, como vc irá comer depois da cirurgia, vai perguntar como você se alimenta hj. Portanto,  seja o mais sincera possivel.
e) de um fisioterapeuta que te ensinará inclusive a usar o respiron.
f) por último de um psicólogo que depois de algumas sessões emitirá o laudo dizendo que você tem condições psicológicas de passar pela cirurgia e todas as consequências que ela trará. a quantidade de sessões varia muito de caso a caso.
Pode ser tb que alguns planos de saúde exijam que você frequente reuniões de grupo, que variam muito de quantidade. Eu por exemplo,  não tive que fazer nenhuma, já minha irmã teve que participar de 10 encontros (1 por semana). Então,  não pense que será um processo rápido. O meu mesmo, demorou ao total 6 meses.  A não ser que seja particular, que não há necessidade de todos esses laudos, mas os exames serão os mesmos.

9º Sei que a alegria e a ansiedade é muito grande, mas continue de bico fechado!!!! Eu costumo falar que encaro a cirurgia bariatrica como uma operação ginecologica....rs Você sairia por ai falando pra todo mundo que vai operar sua "amiguinha"? Te garanto que não!  rs

10º Laudos na mão,  volte ao gastro, pois geralmente é a clínica dele que enviará os laudos para o seu plano de saúde e provavelmente,  nesse dia,  se tudo ok, vocês marcarão a data provável da sua cirurgia. 

11º O plano recebe seu processo, analisa e marca a data da perícia.  Lá você passará por um profissional que (no meu caso) foi uma médica que deu uma palestra sobre a cirurgia, leu alguns de meus laudos,  me pesou e mediu. Assinou a carta de consentimento, juntou ao meu processo e a partir dai o plano se vira com o hospital.
Ps. A cirurgia pode ser remarcada algumas vezes, o plano pode pedir mais documentos,  esse tipo de burocracia chata.

12º Segura seu reggae e nada de sair colocando na 1a. Página do jornal de sua cidade. Porque não canso de repetir, a cirurgia bariatrica ainda é um tabu e as pessoas são muito desinformadas quanto a isso...e minha querida, a essa altura vc já está uma especialista!! Kkkk

13º Provavelmente,  você terá uma consulta pré operatória com o seu cirurgião para acerto de detalhes. Como hora da cirurgia,  o que você terá que levar para o hospital.  Como por exemplo, a meia de compressão (uns pedem outros não). Eu levei para o hospital: 3 pijamas, um pra cada dia, caso ficasse sujo de sangue ou outras coisas. 5 calcinhas, meus produtos de higiene pessoal, as meias e o respiron. Eu preferi usar pijamas,  já que toda hora aparece um cristão no quarto e levanta sua roupa para ver sua barriga.

14º Em geral, com 3 dias você está de alta. Procure não chegar em casa e dar uma de dona Nenê..rs sair catando coisas,  se abaixando, pegando crianças no colo. Por mais que você pareça bem, que era o meu caso, você acabou de passar por uma cirurgia e precisa de repouso! 

15º Siga CORRETAMENTE o que lhe foi passado. Conheço pessoas que morreram por deslizes cometidos nesse 1º mês. E qualquer dúvida do mundo, procure seu médico ou a nutricionista, eles são as únicas pessoas indicadas para aconselhar você com O SEU caso.

16º Vai ser sofrido, vc vai chorar, vai querer comer ou sentir mesmo fome, como foi o meu caso. Mas PERSISTA! Se alegre subindo em uma balança para ver seu peso despencando!!

17º Com o notar das pessoas que você emagreceu, ai sim, se quiser, fale que fez a cirurgia.  Eu me mantenho de bico fechado..falo: Ehhh emagreci, né?  É bom de vez em quando fechar a boca...rs

18º Viva feliz com sua nova vida!!!!! 

Desculpem este post ter ficado tão grande....rs

Aqui relato o que vivi ou vi, lembre-se, alguns processos podem ser bem diferentes do meu,  quanto aos laudos e o tempo para a cirurgia. 

Espero de alguma forma ajudar alguém com a minha experiência. 

Bjocas

Nina



quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

nossa que absurdo!!!!!!!

   Noossa que absurdo!

     Essa foi a expressão que ouvi quando falei que fiz a cirurgia com IMC de 33,56. Na época, 87Kg. A pessoa fez uma cara de susto tão grande, como se eu pesasse pouco. Me desculpem, mas quem possui um IMC desse, não é uma pessoa magra. Sim, eu estava gorda! Aliás uma mulher baixa como eu (1,61) vestir 48, não pode se considerar de jeito nenhum uma pessoa “dentro dos padrões”. E afinal, para alcançar o IMC 35 teoricamente “aprovado” pelo plano eu teria que pesar exatamente, 3,711Kg a mais. Então quer dizer que não eu não estava gorda. MASSSSSS se eu tivesse 3,7kg a mais estaria??? Façam-me rir.
       Senti o preconceito vindo desta pessoa, me olhando com aquela cara de: Porque vc fez isso?? Mesmo olhando pra mim hoje e estar vendo que tudo valeu à 
       As pessoas, têm uma mania de achar que para a cirurgia do estômago, devemos estar exageradamente ENORMES com o físico e o psicológico, totalmente dilacerado pela dor, preconceito e baixa estima.
       Afirmo para vocês, tentei de TUDO! Foram quase 30 anos na luta contra o sobrepeso e com medo de terminar como tantos parentes meus, com comorbidades severíssimas, falecimentos jovens tudo por causa da obesidade.
    O susto talvez se dê por falta de conhecimento e por um preestabelecimento nos taxando somente pelo IMC. Se tem IMC o suficiente consegue, se não tem, paga! O que me fez pensar, porque esperar como disse lá em cima, fazer a pessoa conhecer o fundo, do fundo do poço?

         A cirurgia é tão benéfica para diabéticos, hipertensos e afins porque não liberá-la para pacientes de IMC menor?

         Porque o paciente precisa ter no mínimo IMC 35 com comorbidades e IMC de 40 sem nada? Então quer dizer que se ela tiver, diabetes, hipertensão e no meu caso artrose e tiver um IMC de 34,98, ela não precisa de cirurgia e poderá se curar sozinha? Depois não querem que forcemos a barra para engordar.

         Porque o paciente precisa ESTAR ENORME para que se submeta à cirurgia, já que, a recuperação e os riscos de um IMC 60, 70 é bem maior do que um paciente IMC 33, 34, 35 por exemplo?

        Não consigo compreender, o porque de tanta burocracia e tantas pessoas entrando com processo para que o plano pague por um procedimento que é direito SEU. Afinal, sairia bem mais barato, liberar a partir do IMC 35 pra todos, com ou sem comorbidade, mesmo porque seria possível contar nos dedos as cirurgias reparadoras e os custos com UTI seriam bem menores.

        Com IMC menor, a comida é um problema, sim! Mesmo porque, não chegamos à ter 20, 30kg a mais à toa. Mas o IMC menor “ainda” não vive pra comer e seu psicológico, em geral, está arranhado, machucado...mas não dilacerado!

        Com o IMC menor, o exercício físico pós-cirurgia, se torna mais fácil, pois, não se tem um monte de pelacas atrapalhando.

        Com o IMC menor há menos complicações para o paciente e o cirurgião consegue trabalhar com mais facilidade.

        Com IMC menor, o alcance dos objetivos são mais rápidos. Não que um IMC maior não consiga. Eu mesma conheço, sem trocadilhos, toneladas de casos de sucesso. Mas como os próprios estudos sobre cirurgia mostram que a perda de peso, em geral, pode ocorrer até os 24 meses após a cirurgia. O que pode ser pouco tempo para alguns casos de obesidade extrema.

         Sei que há muitos que discordam, mas eu Nina Mallas, fiz a Sleeve perdi 29kg, peso hoje dia 29/01/2014, 58,2kg. Um peso que nunca tive em minha vida adulta e sou uma defensora ferrenha para que a cirurgia seja feita com um IMC menor.

Bjocas

Nina